Atuações da FRM BRASIL

Mecanismos Carbono

Hoje, as preocupações ligadas ao aquecimento global interpelam tanto as esferas políticas como a opinião pública e os setores econômicos. As instituições se mobilizam para propor medidas de combate contra as emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), com o objetivo final de frear as perturbações causadas pelas mudanças climáticas.

A FRM BRASIL posiciona seus clientes frente a este desafio, identificando e implementando oportunidades econômicas ligadas aos mecanismos carbono.

1. Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL)

O MDL foi uma das criações do protocolo de Kyoto. Dentro deste mecanismo, o setor de florestamento/reflorestamento prevê a possibilidade de criar um estoque de carbono adicional graças ao estabelecimento de plantações florestais em certos países.

A primeira etapa de um projeto MDL é a identificação da terra elegível, segura e de qualidade para instalar a plantação. A FRM BRASIL dispõe de um dispositivo filtrando as informações em função dos critérios próprios do MDL e das características da terra: relevo, precipitações, solo, ocupação atual, proximidade dos mercados, competição pelo acesso, legalidade e riscos de invasão.

Após essa seleção otimizada da terra, FRM BRASIL desenvolve o projeto conforme as etapas definidas seguintes:

1. Nota de Ideia de Projeto (PIN)

Estudo de pré-viabilidade incluindo um estudo técnico preliminar e a avaliação da fixação do carbono e das vantagens ambientais e socioeconômicos esperados. Esta primeira etapa busca determinar a pertinência e a viabilidade do projeto.

2. Documento de Financiamento Carbono (CFD)

Análise financeira realizada a partir da estimação dos custos, das possibilidades de financiamento e das projeções de receita baseadas nos diferentes rendimentos esperados para a madeira e o carbono.

Permitindo avaliar a rentabilidade do projeto e de construir uma estrutura financeira adequada.

3. Documento Descritivo do Projeto (PDD)

O PDD sintetiza o estudo global do projeto que alcança à produção de diversos documentos como o estudo de viabilidade técnica, o estudo socioeconômico, o cálculo da captura do carbono (projeção e maximização) e o plano de monitoramento e avaliação.

Este documento será apresentado para a validação do projeto conforme os critérios das Nações Unidas na perspectiva de créditos carbono (tipo CER, Certified Emission Reduction).

Depois do recebimento dos créditos carbono, a FRM BRASIL continua a apoiar seu cliente para o monitoramento da captura do carbono durante o período inteiro do projeto, objetivando maximizar os benefícios tanto para a empresa como para o interesse geral.

2. Compensação Voluntária

A compensação voluntária designa as práticas de atores (organizações, empresas, particulares) que desejam voluntariamente, fora das obrigações regulamentárias, adquirir créditos carbono afim de compensar suas próprias emissões.

A assistência técnica que a FRM BRASIL oferece a seus clientes para este mecanismo carbono voluntário é similar àquela apresentada acima para o MDL. O rigor resultando do processo do MDL e a peritagem da FRM BRASIL trarão a qualquer projeto voluntário uma segurança garantida.

Neste caso, o projeto será aprovado conforme os critérios de organismos especializados como: CCBS (Climate, Community and Biodiversity Standards), Plan Vivo, CarbonFix, VCS (Voluntary Carbon Standard). Quanto aos créditos carbono gerados, serão do tipo VER (Verified Emission Reduction).

3. Programa de Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação florestal (REDD)

O desmatamento é responsável de 17% das emissões globais de gases de efeito estufa, e de 46% das emissões do Brasil. Frente a esta predominância, estratégias e incentivos para a Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação florestal (REDD) recentemente apareceram como um aspecto chave da luta contra o aquecimento global.

Assim, o REDD estimula e valoriza as iniciativas de conservação a longo prazo da floresta que podem ser recompensadas pela entrega de créditos carbonos.

Trata-se de identificar e avaliar em florestas naturais as ameaças de desmatamento. Esta avaliação permite estimar a "baseline" do projeto REDD, e assim determina o potencial de estoque de carbono protegido pelo projeto. Em conjunto com esta avaliação, a FRM BRASIL propõe ações concretas contra o desmatamento como por exemplo o manejo florestal sustentável e cogeração. Após a validação do projeto, FRM BRASIL assume o monitoramento dos estoques de carbono e a medição dos impactos das ações implementadas pelo projeto.

Para acompanhar seus clientes, a FRM BRASIL utiliza suas competências e experiências acumuladas durante 31 anos na gestão e cartografia das florestas naturais, reforçadas pelos conhecimentos divulgados nos mais recentes encontros e debates técnicos e científicos.

 

Contatos:

  +55 91 3241 3111

  frmbrasil@frm-brasil.com

Nossos Endereço:

Rua São Pedro, 566 - Edificio Carajás, Térreo
CEP 66023-570 Batista Campos - Belém / PA - Brasil

Copyright 2008 - FRM Brasil - FRM Internacional - Desenvolvimento Bredi